É uma técnica de pintura gerada do movimento impressionista, em que pequenas manchas ou pontos de cor provocam, pela justa posição, uma mistura óptica nos olhos do observador.
Baseia-se na lei das cores complementares, avanço científico impulsionado no século XIX, pelo químico Michel Chevreul. É uma consequência extrema dos supostos ensinamentos dos impressionistas, segundo os quais as cores deviam ser justapostas e não entre o tom desejado pelo pintor, combinando as diversas impressões registradas.